Tragicomédias do cotidiano

Vidro de azeite quebrado no chão de porcelanato.

Playlists maravilhosas intransferíveis para o cartão de memória.

A atração entre a roupa branca lavadinha e o chão.

A bateria do celular descarregada no meio da dr.

O cocô do cachorro do vizinho no meio da escada.

O mergulho na piscina com os óculos no pescoço.

A profusão de umbigos aconselhando a humanidade.

Canções e canções e canções martelando a impossibilidade do amor.

Palavras demais para esconder covardias.

Frases e frases e frases para se fazer importante.

O silêncio de quem não sabe o que dizer.

E o silêncio de quem não tem mais o que falar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios
Publicado em Miscelânea, Um pouco de ironia, por favor. | Deixe um comentário

Da cozinha douda da Tia Lili (3)

EM TEMPOS DE DIETA LOW CARB, aí vai uma receita bem gostosa, que dá sustança e saciedade.

INGREDIENTES:

150 gr de carne magra moída (eu usei patinho)

1 colher de sopa de azeite (eu gosto dos gregos)

2 colheres de sopa de farinha de amêndoas (eu compro pronta, mas é só triturar as amêndoas)

uma cenoura crua ralada

um pouco de cebola picada (mas pode ser desidratada, se vc preferir, como eu)

sal

pimenta rosa

MODO DE FAZER:

Em uma frigideira ou panela boa, aqueça o azeite, refogue a cebola e já ponha a carne. Evite que a carne solte água. Assim que ela começar a cozinhar/fritar, você acrescenta a farinha de amêndoas, dá uma misturada, prá carne ficar sequinha, mas não esturricada e, em seguida, coloca a cenoura ralada. Misture bem, mas não deixe demais, prá não murchar…

Finalize com pimenta rosa, um pouco moída e um pouco inteira.

Serve de 1 a 2 pessoas.

 

 

 

 

Publicado em Miscelânea, Receitas comicolinárias | Deixe um comentário

Ou simplesmente…

Te vi/Juntabas margaritas del mantel/Ya sé que te traté bastante mal/No sé si eras un angel o un rubí/O simplemente te vi

 

Te vi.

E ias ali, como a ajeitar o dia. Ou despertar a flora.

Também eu ia, só ia. E ao te ver, pouco vi.

Um sol no rosto me batia.

E eu apenas tentava saber o rosto

De quem do outro lado vinha.

Como queria talvez saber como foi

Que veio quem veio te levar daqui.

Te vi.

O coração batia, momentos antes de avistar teu vulto, porque sabia.

Sabia e pedia não poder te ver, não querer te ver, não precisar te ver.

Mas vi.

Meus olhos, pouco videntes, entenderam que não deviam te olhar.

E tu, na surpresa de quem, cego, descobre um fato, parou para ver.

Foi quando me acordei de que, com você ali, mesmo fugaz,

Nada havia para dizer.

Nada havia que sentir.

Então segui.

Levando o amor e as minhas lágrimas.

Que de nada te serviram

Nem pra te darem a ver a dor.

Além da tua vaidade, além do teu temor.

Além, mais além, do comezinho e fácil narcisismo.

E assim…

Além de ti, da tua sombra, do teu próprio umbigo,

Sem nada mais a ver,

Eu simplesmente te vi.

 

Publicado em Miscelânea, POESIA | Marcado com , , , | Deixe um comentário

#ditodoutromodo,

A saudade de ti me pesa
Tanto ou mais que a dor de ter sido a presa
Da tua desleal palavra de raiva, impiedosa e crua
Do perfume acre do teu sexo, da boca arfante,
Do hálito quente, tua pele nua

A tortura de lembrar de ti, dia após dia, sangra
Pouca coisa menos que o esvair-me em pranto
Desconhece colo, ombro, é só desassossego
Desvario cego, é despencar sem medo

A mágoa de tua teia fria, cálculo preciso, no exato tempo
De me fazer crer feia, pequena, perdida, eternamente erro
Fere de morte, sem anestesia, socorro ou compaixão
Faz de toda a vida uma vaga sensação de ter perdido o trem, o ônibus, o avião.

Saudade, lembrança, mágoa…
Ferida de morte, só peço à vida
Que te dê o gosto do fel, da dor, do não
Até ajoelhares, cara rente ao chão, clamando aos céus por clemência
E receberes, de volta, então, o vazio de um qualquer sentido,
O silêncio do mais surdo ouvido

E, de Deus, aos teus soluços, a mais aguda indiferença.

Publicado em POESIA | Deixe um comentário

Da cozinha douda da Tia Lili (2)

RECEITA ZERO CARB

Farofa fácil e dilíça

Ingredientes: Ovos. Farinha de amêndoas. Manteiga. Sal. Banana.

Derreta um pouco de manteiga numa frigideira limpa e sem cheiro de óleo véio daquelas frituras que o povo faz, e já bota logo ozovo.

[Se quiser lavar as cascas, antes, com detergente e tudo, pobrema seu e da sua becessividade. Mas não seja tonta/o de quebrar ozovo tudo já direto na frigideira. Vai quebrando numa tigelinha (de vidro, pro cheiro de ovo não impregnar tudo e pondo num prato. De vidro.)].

Deixa ozovo começar a pegar aquela cara de ovo frito, mas não duro, tá… daí, põe um tanto da farinha de amêndoas e mistura, fazendo uma boa meleca. Daí salpica sal (pode SALpicar outras coisas que quiser, aí é com vc…) E come com a banana.

Viu? Fácil e dilíça!

P.S.: Descasca a banana, mano!

Publicado em Miscelânea | Deixe um comentário

Confessional

Conversando com uma pessoa cujo ombro, nesse momento, está sendo muito maior do que imaginávamos, li que “às vezes, o caos orienta a gente”. E é só isso. Lágrimas não rolam para sempre, they dry on their own. Carrego muitas lembranças, bem recentes; espero que as boas é que queiram me fazer companhia. Das ruins sofrerei. Inevitavelmente. Afinal, o coração não sofre de alzheimer.

“Eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos, como um deus…

e amanheço mortal”. (Dudu Falcão – O Silêncio das Estrelas)

Publicado em amor, Miscelânea | Deixe um comentário

A propósito desse estranho tempo,

lá vai um versinho bem atual:

 

DEDICATÓRIA

Era uma vez agora.

E nunca houve um tempo tão distante.

Publicado em Miscelânea, POESIA | Deixe um comentário

A propósito de hoje

Post de três anos atrás, meus votos permanecem os mesmos.

Você já foi no blog dela?

Aos que vão ficar juntos, fisicamente.

Aos que vão sentir mais saudade neste dia.

Aos que acham insuportável a derrama de mensagens no Face, na televisão, nas bancas de jornal.

Aos que acham que não têm e aos que dizem isso de outrém, embora todos o tenhamos – mesmo sem seu nome em nossos registros civis, mesmo que nunca o tenhamos sabido/conhecido.

Aos que se lembram mais, aos que se lembram menos dos momentos em que éramos pequenos e ele, tão grande.

Aos que se sentiram amados; aos que se sentiram abandonados; aos que desejaram sua partida; aos que ansiavam por sua volta; aos que o esperavam na porta, aos que quase nunca o viam.

Aos que esperam que homens que põem filhos no mundo desejem viver esse tipo de relação.

Aos que só querem saber de sua, quando existente, grana.

Aos que só precisavam de um abraço, um olhar…

Ver o post original 58 mais palavras

Publicado em Miscelânea | Deixe um comentário

Da cozinha douda da Tia Lili

Panqueca de microondas da Tia Lili – sem glúten

Bananas que já passaram do ponto, descascadas e fatiadas, vão ao microondas por 4 minutos, em uma forma refratária baixa e redonda (que nem a Tia Lili).
Quebre um ovo batido levemente e acrescente um copo americano de leite (sem lactose).
Misture com duas colheres rasas de farinha de arroz.
Leve ao microondas por 5 minutos. Espere esfriar um pouco, pra não queimar a língua e os beiço, coitada da Tia Lili.
Sirva com canela em pó. Se quiser, coma com um pouquinho de geléia de umbu, deliciosa.
Pronto!
Um baita lanche bom, energético e cheio de sustança prum dia cinza e frio como hoje!!! Dá pra duas ou dois gulosas/os.

P.S.: Não, num tem foto, pq já comi metade

Publicado em Miscelânea, Receitas comicolinárias | Deixe um comentário

MAGIA NEGRA.

Há muito venho aguardando o momento oportuno.

Para que não restem dúvidas.

Ei-lo.

Compartilho este belo poema – concepção, também a minha, do que seja magia NEGRA.

 

MAGIA NEGRA

Magia negra era o Pelé jogando, Cartola compondo, Milton cantando.
Magia negra é o poema de Castro Alves e o samba de Jovelina…
Magia negra é Djavan, Emicida, Racionais MC´s, Thalma de Freitas, Simonal.
Magia negra é Drogba, Fela kuti,
Magia negra é dona Edith recitando poesia no Sarau da Cooperifa. Carolina de Jesus é pura magia negra. Garrincha tinhas 2 pernas mágicas e negras. James Brow e Milton Santos é pura magia.
Não posso ouvir a palavra magia negra que me transformo num dragão.
Michael Jackson e Michael Jordan é magia negra.
Cafu, Milton Gonçalves, Dona Ivone Lara, Jeferson De, Robinho, Daiane dos Santos é magia negra.
Magia Malê Luísa Mahin Calafate.
Fabiana Cozza, Machado de Assis, James Baldwin, Alice Walker, Nelson Mandela, Tupac, isso é o que chamo de escura magia.
Magia negra é Malcon X. Martin Luther King, Mussum, Zumbi dos Palmares, João Antônio, Candeia e Paulinho da Viola. Usain Bolt, Elza Soares, Sarah Vaughan, Billy Holliday, Nina Simone é magia mais do que negra.
Eu faço magia negra quando danço Fundo de quintal e Bob Marley.
Cruz e Souza, Zózimo, Spike Lee, tudo é magia negra neles. Umoja, Espirito de Zumbi, Afro Koteban…
É mestre Bimba, é Vai-Vai é Mangueira, todas as escolas transformando quartas-feira de cinzas em alegria de primeira.
Magia negra é Sabotage, MV Bill, Anderson Silva e Solano trindade.
Ondjaki, Ana Paula Tavares, João Mello… Magia negra.
Magia negra são os brancos que são solidários na luta contra o racismo.
Magia negra é o RAP, O Samba, o Blues, o Rock, Hip Hop de Africabambaataa.
Magia negra é magia que não acaba mais.

É isso e mais um monte de gente que é magia negra.

O resto é feitiço racista.

Sérgio Vaz

Publicado em Miscelânea, Racismo | 3 Comentários